Inmetro/Superintendência de Goiás destrói produtos sem certificação

Seguindo o que rege a legislação para produtos que levam o selo Inmetro, a Superintendência do Inmetro em Goiás (Inmetro/Surgo), após seguir todos os prazos legais para a apresentação de defesas protocoladas pelo setor produtivo, fez no mês de agosto a destruição de artigos certificados e que estavam fora da regulamentação. Entre os itens estavam brinquedos, isqueiros, materiais elétricos, artigos escolares, umidificadores e luzes natalinas (pisca-pisca) que foram apreendidos em fiscalizações realizadas em Goiânia e cidades do interior de Goiás, entre os anos de 2012 a 2018. Ao todo foram mais de quatro mil unidades de produtos.

Brinquedos, materiais elétricos, artigos escolares e umidificadores são encaminhados a uma empresa especializada em destruição e que trabalha também a reciclagem. “Achamos importante dar um fim a esses produtos com a preocupação ambiental. Não dá para ficar produzindo lixo sem destinação certa”, avalia Cláudia Carneiro, responsável pelo Setor de Comunicação Social do Inmetro/Superintendência de Goiás.  Ainda segundo Cláudia, isqueiros e lâmpadas, que contém material poluidor, são inutilizados pela Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), numa parceria firmada com a prefeitura.

Além disso, o Inmetro/Superintendência de Goiás, se preocupa com o lado social. De acordo com Cláudia Carneiro, já houve questionamento sobre a destruição de brinquedos. Há quem defenda a doação para entidades que trabalhem com famílias de baixa renda. Entretanto, Cláudia faz um alerta: ”O Inmetro estaria sendo incoerente na ação”. Se os brinquedos estão inadequados para a venda porque podem oferecer risco à criança, não podem ser doados.

Após a destruição de produtos como: brinquedos, materiais elétricos, artigos escolares e umidificadores, esses são encaminhados a uma Cooperativa de reciclagem, e o que for aproveitado de material plástico é doado ao Hospital do Câncer, entidade que apoiamos já há alguns anos, resume.